Apresentações musicais inspiradas em filmes

Eu já fiz um post aqui sobre videoclipes inspirados em filmes. Mas também existem apresentações ao vivo bem legais que tomam como base produções da sétima arte.

Desse tipo de apresentação, a mais manjada é quando a música fez parte da trilha-sonora de um filme – e o quando o filme é musical, aí que fica igualzinho mesmo (o que não é necessariamente algo ruim). Um exemplo que eu gosto é de Michael Jackson cantando “Smooth Criminal” na Dangerous Tour de forma praticamente igual ao filme MOONWALKER.

É pena que o Rei do Pop morreu antes da turnê “This is It”, já que essa apresentação teria sido ainda mais fenomenal devido a um vídeo/intelude mostrado antes fazendo referência a vários filmes da era de ouro de Hollywood, como O FALCÃO MALTÊS e GILDA. Ainda bem que pudemos vê-lo no documentário de ensaios da turnê.

Uma apresentação que tinha tudo pra ser um exagero kitsch mas cujo resultado foi meio sonolento foi a de “Lady Marmalade” com Christina Aguilera, Lil’Kim, Mya, Pink e Missy Elliott no Grammy. Divulgando MOULIN ROUGE, a única coisa que salvou foi a aparição de Patti LaBelle, a intérprete da canção original que mostrou pra essas filhotes de diva como é que se grita de verdade.

Falando em diva, uma performance estelar foi a de Tina Turner cantando “Goldeneye”, a música que Bono e The Edge escreveram para a primeira aventura de Pierce Brosnan como James Bond. Adoro a entrada dela naquele alvo estilo 007.

No terreno do rock, nada se compara à turnê The Division Bell do Pink Floyd, com o palco mais espetacular já construído. Em meio à toda aquela pirotecnia, se destacava “Another Brick in the Wall”, canção-tema do filme cult dirigido por Alan Parker.

Existem, no entanto, apresentações baseadas em filmes que não são necessariamente com canções baseadas em trilhas-sonoras. Uma das mais bem-feitas é a Kylie Minogue homenageando LARANJA MECÂNICA. A ultra-violência de Kubrick/Burgess domesticada pelo pop. O início com a Quinta Sinfonia de Beethoven é um achado.

Madonna também foi outra que fez uma homenagem ao filme de Kubrick, inclusive misturando falas do filme à letra de “Keep it Together”, música que concluía a turnê Blonde Ambition. Nesse caso, outra referência cinematográfica fortíssima (da coreografia ao figurino) era ao filme CABARET, de Bob Fosse.

É também de Madonna a minha apresentação musical favorita baseada em filme. Na turnê Girlie Show haviam várias referências ao cinema (de HAIR a Marlene Dietrich), mas a que acaba roubando mesmo a cena é a performance de “Justify My Love”, baseada na sequência da corrida de cavalos de MY FAIR LADY. Com figurino de Dolce & Gabbana emulando o preto-e-branco idealizado por Cecil Beaton no filme de George Cukor, Madonna subverte o deleite hipócrita da alta-sociedade londrina mostrado no filme através de um viés sexual inesperado. Um dos momentos mais inspirados da cantora.

E vocês? Lembram de mais alguma apresentação musical baseada em filme?

Advertisements
Esta entrada foi publicada em 24 quadros por segundo, Music! Makes the people... com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

2 respostas a Apresentações musicais inspiradas em filmes

  1. Danillo diz:

    Sinto falta dos seus posts

  2. Pingback: Necessários da semana | Necessárias

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s