Bate-blog: Os hipsters também amam

scott-pilgrimOK, muita coisa pra comentar, mas vou me ater ao básico.

Primeiramente, esses anúncios FYC da Melissa Leo são o cúmulo do desespero, mas acho que serviu pra chacoalhar a mesmice do período “campanha” e mostrar que no fundo as pessoas querem mesmo é ganhar. Como disse o Frank Langella no SUPERMAN O RETORNO (um filme que aparentemente só eu gosto), “as pessoas lembram quem ganhou o Oscar mas nunca lembram em qual filme.”

Sobre O DISCURSO DO REI: acho que o filme só mostra o quanto um grande elenco (e um elenco britânico) faz uma diferença na hora de pegar uma história quadradona. Nem acho que é filme pra TV como andam dizendo por aí – se for assim, A RAINHA de Stephen Frears também era – porém falta à produção um problema digno de toda aquela tensão. Apesar do filme martelar todo o problema da Segunda Guerra, não consegue esconder que no fundo toda a tensão do roteiro se resume a um homem (um rei, ok) que é gago. Não me conformo com as pessoas que reclamam que CISNE NEGRO é maniqueísta e simplista, resumindo tudo a uma questão de frigidez, e não falam nada de que O DISCURSO DO REI resume tudo a ser abusado pela babá. E o que é o Timothy Spall de Winston Churchill? Parecia imitação do Tom Cavalcanti.

Mudando de assunto, existem dois filmes excelentes do ano passado que passaram batidos na temporada de prêmios: SCOTT PILGRIM CONTRA O MUNDO e UM LUGAR QUALQUER. Cada um é bem moderno à sua maneira – o primeiro com seu visual feérico e estética de videogame, e o segundo com seu delicado retrato do tédio e da solidão. São dois filmes que, de formas distintas, caem como um luva para a geração hipster de hoje. Ambos mostram que mesmo no meio de canções indie e referências ao último Nintendo,é possível encontrar preocupações e questionamentos universais. Existe algum outro filme do ano passado que vocês acham que ia aparecer cheio de indicações mas na hora H o Oscar fingiu que não viu?

E Rômulo: falar mal de SINÉDOQUE NOVA YORK é crime previsto no código penal.

Anderson

Bate-blog #10 – For Your Consideration: Crazy Old Lady Edition

Bate-blog #9 – A Tale of Two Cities

Bate-blog #8 – Da crítica, do público e do prazer da festa

Bate-blog #7 – Sobre o que a Academia não via

Bate-blog #6 – Há mérito em “filme de Oscar”?

Bate-blog #5 – Da sutileza que se passa por obviedade. E da obviedade que se passa por sutileza.

Bate-blog #4 – O Rei vs. o Facebook

Bate-blog #3 – You’re my queen. Inception, you’re my dream.

Bate-blog #2 – Sobre Nolan e um pouco de Yates

Bate-blog #1 – O Cinema em 2010

Esta entrada foi publicada em 24 quadros por segundo, bate-blog, Meu amigo Oscar com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

13 respostas a Bate-blog: Os hipsters também amam

  1. Anderson diz:

    Como vcs podem odiar Sinédoque minha gente? Eu vi duas vezes seguidas. Aquilo me deixou mto abalado… Acho um filmaço. Só a casa da Samantha Morton pegando fogo já é a vida.

  2. Hugo diz:

    Pra mim o grande ignorado pela Academia nesse Oscar é, sem dúvida nenhuam, o suspense do Scorcese ‘A Ilha do Medo’ e sinceramente tô tentando até agora entender como puderam considerar ‘127 horas’ ou ‘Inverno da Alma’ melhores que ele.

    Isso se estende (extende? fiquei em dúvida) ao Leonardo DiCaprio, pra mim um dos melhores atores dos ‘novos’ e que faz dois filmes FODA (perdão do termo) e não é indicado. A velha cisma deles acharem que ele é o galã de Titanic existe mesmo? E se existe ainda tá lá?

  3. Pingback: Rosebud é o Trenó! | O blog pra quem sabe que Norman Bates é a mãe, o Bruce Willis está morto no final, Tyler Durden é coisa da sua cabeça e, claro, Rosebud é o trenó!

  4. Gisele diz:

    eu queria defender “O Discurso do Rei”, mas tenho preguiça. defender o filme todo, a direção e até o Spall, coitado.

    mas tenho preguiça e só queria dizer que o filme é muito mais do que a história de um homem gago. eu queria dizer que eu gostei do filme só pq eu sou apaixonada pelo Colin Firth. Mas a forma delicada como um rodapé da biografia de George VI foi transformado em uma alegoria sobre afirmação pessoal — sobre como é doloroso passar acreditar em si mesmo — é um mérito enorme.

    • Anderson diz:

      Eu não acho o filme ruim, longe disso. Mas acho o roteiro meio esquemático. Mas o destaque são mesmo as atuações – exceto o Timothy Spall, que continuo achando que tá uma caricatura.

  5. Anderson, eu adoro o Superman do Singer – high five. Achei o Lex Luthor do Kevin Spacey absolutalmente perfeito (e fazia tempo que eu não me empolgava com as perfomances dele; se bem que quem foi Keyser Soze e John Doe tem crédito eterno comigo).🙂

    Quero comprar o DVD de “Scott Pilgrim” e ver mais umas 4 vezes. Brandon Routh me fez chorar de rir. O filme é todo bom, aliás.

    Sabe que eu achei que “Conviction” iria abocanhar algumas indicações? É aquele tipo de filme feitinho pra Oscar (“Uma Mente Brilhante”, anyone?), em que tudo parece ser pensado pra Academia. Achei que pelo menos a Hilary Swank e o Sam Rockwell seriam indicados.

    • Anderson diz:

      Mais um pro bonde do Superman! hehehe

      Mas Patrícia, acho que até mesmo a Academia achou que Conviction era oscar-bait demais. Mas uma indicação pro Sam Rockweel eu esperava tbm, pelo menos. Aliás, as pessoas tem que reconhecer o trabalho dele, né? Acho ele dez.

  6. Gisele diz:

    Sam Rockwell é o ator mais roubado da história dos atores roubados de Hollywood. em “Green Mile” o filme sobe de produção quando ele aparece, ele estava bem em “Matchstick Man” (do lado do Nic Cage, gente, isso é muita coisa) e ele não ter sido lembrado por “Moon” merecia que ele desse parte na polícia.

    (em segundo lugar entre os atores roubados está Leonardo Di Caprio. pq ele e a Julliane Moore ainda não têm Oscar com a carreira que têm é uma dúvida que me atormenta)

  7. Pode me contar como fã do Rockwell. Gosto demais.

    Gisele, Marisa Tomei tem um Oscar e umas outras tantas indicações. Gwyneth Paltrow, tb. E Glenn Close não, nem o maravilhoso Di Caprio, nem a maravilhosa Juliane Moore. A vida não é mesmo justa. Concordo contigo.

  8. Marília N. diz:

    James Franco indicado ao Oscar e Leonardo DiCaprio fora é a maior safadeza do Oscar este ano.

  9. Pingback: Rosebud é o Trenó! | O blog pra quem sabe que Norman Bates é a mãe, o Bruce Willis está morto no final, Tyler Durden é coisa da sua cabeça e, claro, Rosebud é o trenó!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s