Bate-blog: A Tale of Two Cities

o-discurso-do-rei-cena-do-filmeAté tento encontrar maior mérito num longa como O DISCURSO DO REI, mas não consigo enxergar algo diferente do clássico “filme para Oscar” que dominou a premiação por tanto tempo e agora parece estar de volta. Claro, alguns podem dizer que QUEM QUER SER UM MILIONÁRIO? já foi uma tentativa bem-sucedida de premiar o filme mais popular (não exatamente o melhor), mas aquela certamente não era uma produção muito tradicional para a Academia. O maior mérito de Hooper é fazer com o público se identifique com algo numa típica história da realeza que em outro contexto não renderia um filme tão “universal”. Nesse sentido, é preciso concordar com o Raphael: por que então não dar a estatueta para TOY STORY 3, o mais popular entre os indicados?

Todos sabemos que o Oscar costuma dar mais audiência em anos nos quais grandes sucessos de bilheterias são indicados, não à toa os índices do último ano foram os melhores em muito tempo. Mas ali não houve a exigência de se premiar AVATAR, como nesse ano não há de se premiar um filme mais popular. Ainda acredito, portanto, que a Academia pode surpreender e escolher A REDE SOCIAL, contrariando a tendência estabelecida nas últimas semanas. Não seria a escolha do “filme americano”, a meu ver, mas sim a escolha do filme que representa de uma melhor maneira nosso tempo. O DISCURSO DO REI não é mesmo nenhum CRASH, Rômulo, mas também não fica muito longe de outras escolhas equivocadas do prêmio.

inverno-da-alma-jennifer-lawrenceAssim como vocês, não enxerguei em A ORIGEM uma obra-prima (mesmo gostando muito), mas sou defensor do Nolan e, assim como o Anderson, acredito que o melhor dele ainda está por vir – sem tirar o mérito de sua notável carreira. Sobre a inclusão de NAMORADOS PARA SEMPRE em minha lista, penso que o cinema americano independente já não é o mesmo e várias histórias são repetitivas (INVERNO DA ALMA é bom, mas é quase um RIO CONGELADO 2), porém ao menos o Derek Cianfrance conseguiu aderir algo de novo a esse gênero. Talvez a dupla protagonista seja responsável por esse ser um filme tão bom quanto é, mas vejo muitos outros aspectos notáveis ali.

Não sei se todos já viram os filmes indicados para o Oscar de Melhor Filme, mas de qualquer forma deixo minha lista por ordem de preferência (6/10 na seleção de melhores do ano):

1- A REDE SOCIAL

2- CISNE NEGRO

3- TOY STORY 3

4- A ORIGEM

5- BRAVURA INDÔMITA

6- MINHAS MÃES E MEU PAI

7- 127 HORAS

8- O DISCURSO DO REI

9- O VENCEDOR

10- INVERNO DA ALMA

Ah, e o Grammy foi uma bela decepção. Se não fosse o Arcade Fire, seria a pior edição que já vi do prêmio. Melhor momento? Nicole Kidman cantando Teenage Dream, claro.

Vinicius

Bate-blog #8 – Da crítica, do público e do prazer da festa

Bate-blog #7 – Sobre o que a Academia não via

Bate-blog #6 – Há mérito em “filme de Oscar”?

Bate-blog #5 – Da sutileza que se passa por obviedade. E da obviedade que se passa por sutileza.

Bate-blog #4 – O Rei vs. o Facebook

Bate-blog #3 – You’re my queen. Inception, you’re my dream.

Bate-blog #2 – Sobre Nolan e um pouco de Yates

Bate-blog #1 – O Cinema em 2010

Esta entrada foi publicada em 24 quadros por segundo, bate-blog com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

8 respostas a Bate-blog: A Tale of Two Cities

  1. Me surpreendi de você ter gostado mais de O Vencedor do que de O Discurso do Rei! Mas ainda não consegui ver o filme britânico, também não posso dizer muita coisa. hehe

    Ainda não vi 4 filmes que concorrem ao Oscar, mas minha lista até o momento:

    1- A Origem
    2- Cisne Negro
    3- A Rede Social
    4- Toy Story 3
    5- O Vencedor
    6- Minhas Mães e Meu Pai

  2. Não vi todos os indicados ainda, mas “Inverno da Alma” em último é injusto! É verdade, lembra “Rio Congelado”, mas é tão bom quanto. E discordo sobre o que você disse do cinema independente. Tem muita coisa boa, mas poucas são reconhecidas (“Life During Wartime”, “City Island”, “Mother and Child”, “Please Give”, “Cyrus” et cetera).

    Dos que vi:

    1. “Minhas Mães e Meu Pai”
    2. “Toy Story 3”
    3. “Cisne Negro”
    4. “Inverno da Alma”
    5. “A Origem”
    6. “A Rede Social”

  3. Vinícius P. diz:

    Victor. Na verdade “O Discurso do Rei” está uma posição a frente de “O Vencedor”. É o típico ano em que gostei de todos os indicados, alguns mais que outros.

    Alex. O “cinema independente” americano virou quase um gênero e por mais que haja muita coisa boa, é preciso reconhecer que fornece tantos filmes discutíveis quanto a indústria dos blockbusters. Dos filmes que você citou preciso ver “Please Give”, que realmente parece ser interessante. “A Rede Social” em último? Ok, então…

  4. Rodrigo diz:

    Vinicus, reabre seu blog. Cria outro, sei lá. Você não devia ficar sem espaço, pois és muito bom. Volta. Abrass

  5. Vinícius, não sabia que você estava como freelancer aqui no Rosebud. Imaginava estar direcionando o meu comentário ao Anderson. =P

  6. Fernando Sobrinho diz:

    Meu ranking ficaria assim :

    1. Cisne Negro
    2. Bravura Indômita
    3. O Vencedor
    4. A Origem
    5. A Rede Social
    6. Minhas Mães E Meu Pai
    7. O Discurso do Rei

    Ainda faltam Toy Story 3, Inverno da Alma e 127 Horas.

  7. Pingback: Rosebud é o Trenó! | O blog pra quem sabe que Norman Bates é a mãe, o Bruce Willis está morto no final, Tyler Durden é coisa da sua cabeça e, claro, Rosebud é o trenó!

  8. Pingback: Rosebud é o Trenó! | O blog pra quem sabe que Norman Bates é a mãe, o Bruce Willis está morto no final, Tyler Durden é coisa da sua cabeça e, claro, Rosebud é o trenó!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s