Top 10: Melhores Filmes da Pixar

TOY STORY 3 estreou, mas estou em dúvida sobre em qual posição eu coloco. Enquanto isso, um Top 10 dos melhores filmes da Pixar.

10- VIDA DE INSETO

bugs_life

Lançado no mesmo ano do FORMIGUINHAZ da Dreamworks, esse talvez seja o mais “Disney” de todos os filmes da Pixar, incluindo a jornada do herói por ajuda contra os inimigos malvadões (incluindo um gafanhoto com dublagem ótima de Kevin Spacey). As formigas azuis são esquisitas, mas quem rouba a cena mesmo é a joaninha muito macho!

9- CARROS

pixar_cars

John Lasseter constrói aqui um grande elogio à nostalgia, num filme essencialmente norte-americano que eleva o automóvel a símbolo máximo da organização social. A ausência de “humanos” no início causa certa estranheza, mas depois é motivo pra tiradas visuais muito criativas.

8- UP

pixar-up-carl-ellie

Se juntar um velhinho amargurado e um garotinho irritante não parece ser a forma para um filme de sucesso, imaginem isso ao lado de cães falantes e uma ema multi-colorida que só sabe gemer. Mas o improvável acontece nesse filme adorável, onde todos os personagens (até mesmo seu interessante vilão) tem motivos plausíveis e bastante complexos para seus atos. Afinal de contas, o que pode ser mais simbólico do que um homem que carrega a própria casa nas costas? E se alguém fizer cena mais romântica do que aqueles 4 minutos sobre a vida do Mr. Fredricksson com a esposa, me avise.

7- MONSTROS S.A.

Monsters-Inc-boo

Esse é sem dúvida o filme mais engraçado da Pixar. Por trás do bom e velho monstro escondido no armário, há uma verdadeira mitologia onde todos os pequenos detalhes são pensados (a energia da cidade dos monstros é o grito das crianças – crítica subliminar à exploração desmedida de recursos não-renováveis?). E quem acha que o olhar do Gato de Botas de SHREK é imbatível no quesito fofura, é porque nunca viu a Boo.

6- OS INCRÍVEIS

incredibles-family

É covardia falar sobre qual obra da Pixar é visualmente mais rica, mas OS INCRÍVEIS pra mim leva o título. O filme é um deleite para os olhos, repleto de pequenas piadas visuais, além de um questionamento real sobre o valor da família e suas responsabilidades. Além disso, é um filme de ação perfeito – toda a sequência na floresta é de tirar o fôlego. Adoro que o vilãozão é nada mais que um nerd, e Edna Mode é “fogo na roupa”!

5- TOY STORY 2

Toy-Story-2

Há algo de metafísico na série TOY STORY, só que nessa parte 2 o lado meditativo sobre o tempo, o abandono e a amizade (localizado na história de Woody ser um brinquedo raro) divide espaço com uma narrativa frenética de ação, que atinge o ápice quando os Buzz & cia chegam à loja de brinquedos. A cena em que Buzz descobre vários brinquedos igual a ele é das mais bonitas feitas pela Pixar.

4- PROCURANDO NEMO

nemo-pixar

Em termos de roteiro, talvez seja o filme mais simples da Pixar – é um filme de “jornada”, um dos sub-gêneros mais comuns de filmes infantis. Mas todo o charme aqui reside no hall de personagens mais divertidos da história do desenhos animados – em especial Dory, um peixe com perda de memória recente que ganha um carisma todo especial na notável dublagem de Ellen De Generes. Mas ainda tem a tartaruga surfista, o tubarão que faz parte de um grupo estilo AA pra peixes, e o professor cantador. Isso porque nem comecei a falar dos peixes que ficam no aquário do dentista e suas hilárias neuroses.

3- TOY STORY

Toy-Story-Chase

O primeiro filme da Pixar tem o efeito do familiar para crianças. Para os adultos, funciona como uma mini-sessão de análise. O encontro com a ideia de brinquedos da infância fazerem de tudo para serem amados pelos donos é um bonita metáfora para amizade, um conceito-chave de toda a trilogia. A princípio, também parece um filme de ‘jornada’, mas ela é feita num nível interior, onde todos os personagens (dos protagonistas Woody e Buzz, passando por coadjuvantes engraçadíssimos como o Sr. Cabeça de Batata e os monstrinhos de 3 olhos) passam por uma descoberta sobre quem são de verdade e sua função no mundo. Pra um filme sobre bonecos de plástico, é impossível pedir mais.

2- WALL-E

wall-E

WALL-E não só é o filme mais ambicioso da Pixar pela temática liberal, anti-consumista e ecológica, mas também por causa de uma narrativa pouco convencional, em especial para um filme ‘infantil’. O diretor Andrew Stanton em muito se inspira em Kubrick (e não só no robô parente de HAL 9000 como capitão da nave espacial) para compor uma ficção científica de ideias que não deixa a dever às grandes obras do gênero. Os primeiros 30 minutos são um exercício de poesia, de deixar Charles Chaplin orgulhoso. De certa forma, Wall-e é um “doce vagabundo” perto da digital e moderna Eve, talvez o primeiro grande personagem “feminino” da Pixar. A ironia da descrição do estilo de vida dos personagens que moram na nave Axiom (nome perfeito) já rendeu muitas discussões. Porém, essa crítica que o roteiro constrói em relação ao ser humano moderno diverte ao mesmo tempo em que é bastante contundente – uma prova das imensas leituras que podem ser feitas deste filmaço.

1- RATATOUILLE

ego-ratatouille

O diretor Brad Bird, com RATATOUILLE, se consagra como o grande ‘autor’ da Pixar depois de John Lasseter. Já se tornou lugar-comum dizer que o forte da Pixar é ter um bom roteiro em primeiro lugar, enquanto o espetáculo visual é consequência. No caso, de RATATOUILLE, temos um rato que sonha em ser cozinheiro. Mas não é um ratinho tipo “Mickey”, com roupinhas e tamanho humano, mas retratado com um realismo até certas vezes desagradável. A própria ideia de ter um bicho desses perto de comida já é capaz de embrulhar o estômago de alguns, e num nível mais básico essa é uma das grandes questões do filme: quem pode dizer o que podemos fazer? o quanto somos escravos das nossas limitações? qual a vantagem de seguir as tradições? No entanto, esses questionamentos caminham lado a lado no roteiro com uma profunda discussão sobre o caráter liberador da arte (cujo exemplo no filme é a culinária, mas poderia ser qualquer outra atividade envolvendo criatividade) e seus efeitos. Para reforçar essa idéia, somos apresentados ao mais notável de todosos personagens criados pela Pixar: Anton Ego, cujo próprio nome deixa ver algo de freudiano sobre ele. Contando com a divina dublagem de Peter O’Toole, Anton Ego é o vilão que não é vilão, responsável por aquela que é uma das grandes cenas do cinema da década. RATATOUILLE, assim como o prato que dá nome ao filme, é ao mesmo tempo simples mas extremamente sofisticado.

Esta entrada foi publicada em 24 quadros por segundo, Top Ten com as etiquetas , , , , , , , . ligação permanente.

7 respostas a Top 10: Melhores Filmes da Pixar

  1. Raphael diz:

    Se eu disser que nunca nem tive vontade de ver “Ratatouille” e que “Up” é um dos meus favoritos, seria discordância excessiva? Mas que “Vida de Inseto” é o trabalho mais fraco da Pixar é inegável. Somado ao azar de sair no mesmo ano que Formiguinhaz e ter gerado uma grande polêmica de quem plagiou quem, o sucessor de “Toy Story” de fato deixou demais a desejar.

  2. karine diz:

    Eu ainda não vi Up nem Toy Story 3. Ainda.

    Essa cena do Anton Ego comendo-de-volta-a-infância é maravilhosa.

    Eu adoro o Nemo, e vi logo depois que fui a Australia e mergulhei na Barreira de Corais e vi vários peixes do filme. Lindo.🙂

  3. Lucas Alves diz:

    Sou fã dos filmes da Pixar! O meu favorito é Wall-E, mas gosto de todos.

  4. Preciso dizer que a lista está perfeita? Hehehe. Para mim “Ratatouille” e “WALL-E” são os grandes filmes da Pixar, nessa exata ordem – em especial o primeiro, uma obra-prima que me deixou completamente encantado no cinema.

  5. Gisele diz:

    Anderson, como assim Up em oitavo????

    O filme entra fácil no meu top 3, junto com Ratatouille e Toy Story 3. Wall-E é lindo, inteligente e poético, mas não me emociona.

    Eu sei que listas são subjetivas e pessoais, mas me senti na obrigação de manifestar meu desacordo!

    Abração!

    • Anderson diz:

      Oi Gisele: é q eu penso assim – existem os filmes da Pixar que são bons (CARROS e VIDA DE INSETO) e os excelente (TODOS OS OUTROS). Da 2a lista, eu acho UP o “menos excelente” de todos. Talvez seja aquela coisa dos cachorros falantes que eu não tenha gostado tanto….

  6. Marcio diz:

    Adoro os filmes da Pixar, uns mais outros menos, mas todos eles são excelentes, porque lá tem gente que é apaixonada por cinema e pélo que faz, por isso tantas referências a filmes dentro dos filmes. E não é animação só pra criança não, é pra adulto, às vezes até mais, como “WALL-E”. Por isso e muito mais, a Pixar é o melhor estúdio de animação do planeta. Estou completando minha coleção de DVDs da Pixar: agora só faltam Os Incríveis e Toy Story 3!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s