Videografia: Jonas Akerlund

jonas-akerlund-videos

Conhecido por seus vídeos muitas vezes exagerados e polêmicos, Jonas Akerlund é um dos mais requisitados diretores de videoclipe da atualidade. Tendo trabalhado com grandes nomes do pop/rock, Akerlund sempre gosta de imprimir um tom grandioso às suas produções, o que geralmente faz com que seus clipes sejam ou muito assistidos ou simplesmente banidos da maioria dos canais de tv devido aos seus temas explosivos. No clique abaixo, vamos ver alguns deles.

Como bom sueco, Jonas Akerlund começou trabalhando com o mais bem-sucedido produto de exportação pop daquele país: Roxette. Os primeiros clipes de Akerlund para a dupla são simples e até meio bobinhos. No entanto, quando já estava mais consolidado como artista, o diretor fez lindos clipes com o duo sueco no fim dos anos 90. Dessa leva, o meu favorito é “Anyone”, onde uma Marie deprimidíssima vaga por uma cidade e encontra solução apenas no suicídio. O clipe foi filmado em um belíssima praia de Portugal, e a fotografia em cores fortes (uma das marcas de Akerlund) é destaque. O making of desse clipe, aliás, você pode ver aqui. Adoro os closes demorados em objetos, como para mostrar que nada tem sentido. O filme foi banido em muitos países, devido à idéia de que poderia levar as pessoas realmente ao suicídio – sinta o drama!

http://www.dailymotion.com/swf/x2iu9y
Roxette – Anyone
Enviado por nico2oo6. – Buscar outros videos de Musica.

Contudo, o clipe que colocou Jonas Akerlund no mapa é “Smack My Bitch Up” do Prodigy. Considerado pela MTV o vídeo mais polêmico de todos os tempos, ele mostra, filmado em primeira pessoa, uma noite de sexo, drogas, violência e vandalismo. A edição é brilhante e não lembro de videoclipe mais deliciosamente depravado. Mas nada (nada mesmo!) nos prepara pra surpresa do final.

http://www.dailymotion.com/swf/x25uxm
Prodigy – Smack my bitch up
Enviado por bebepanda. – Veja mais vídeos de musica, em HD!

Outro clipe marcante de Akerlund que retrata a porralouquice sem limites a que se pode chegar pela busca do prazer é “Come Undone” de Robbie Williams. No vídeo, o cantor acorda em um mansão no meio de duas mulheres no que parece ser o day after de uma orgia regada a muito álcool e drogas. São mostrados breves flashbacks da festa, e a presença de animais nojentos ressalta a atmosfera de devassidão.

Depois do sucesso de “Smack My Bitch Up”, a mais do que esperta Madonna chamou Akerlund pra dirigir um de seus clipes e ambos começaram uma parceria sólida que permanece até hoje. Apesar das produções recentes da dupla serem esquecíveis, Akerlund realizou com a rainha do pop seu clipe mais premiado: “Ray of Light”. Mostrando Madonna em meio a vídeos acelerados ilustrando a correria do mundo moderno, o clipe casou perfeitamente com uma das melhores fases da cantora.

Em seu disco seguinte, Madonna também contou com Akerlund para dirigir o clipe do primeiro single, “Music”. Fazendo paródia dos clipes de hip-hop, Akerlund mostra Madonna como uma pimp que sai pela noite caçando sexo em sua limosine. Pra completar o clima de piada, o vídeo ainda tem a participação de Sacha Baron Cohen fazendo um de seus personagens mais famosos: Ali G.

http://www.dailymotion.com/swf/x3d7am
Madonna – clip "Music"
Enviado por J-Noel.

A parceria Akerlund/Madonna continuou no próximo disco da cantora: “American Life”. O primeiro single, também chamado “American Life”, fazia um comentário mordaz sobre o governo Bush e a guerra do Iraque. O vídeo mostrava a guerra como um grande desfile de modas, onde não só civis iraquianos mas também os próprios soldados americanos eram retratados como mais um espetáculo da mídia. O clipe foi criticadíssimo, tanto que foi retirado do ar e substituído pelo famigerado vídeo das bandeirinhas. Hoje virou item de colecionador, mas é um dos melhores clipes de Akerlund e também de Madonna.

http://www.dailymotion.com/swf/x8j82l
Madonna – American Life The Uncensored Version
Enviado por mgjd. – Buscar outros videos de Musica.

Outro exemplo do humor cáustico de Akerlund é o clipe de “My Favorite Game”, onde trabalhou com seus conterrânos suecos do The Cardigans. O vídeo mostra a vocalista Nina Persson dirigindo enlouquecida na contramão de uma estrada no meio do deserto, com uma pedra no acelerador. Novamente, em alguns canais de tv o vídeo foi censurado devido a  cenas fortes, especialmente a do final, que teve diferentes versões (inclusive uma em que Nina Persoon era decapitada).

Mais uma heroína porra-louca de Jonas Akerlund é a vaqueira bêbada de “Country Girl”, clipe para a ótima música do Primal Scream. Akerlund tem uma certa preferência por uma estética ‘white trash’, mas nesse clipe ele se supera.

http://www.dailymotion.com/swf/xmrkl
PRIMAL SCREAM – COUNTRY GIRL
Enviado por huntylch. – Veja mais vídeos de musica, em HD!

Trabalhando com ícones do rock, Jonas Akerlund também usa e abusa de seu estilo “festa de arromba  + p*taria + álcool + white trash”. O melhor exemplo: “Whiskey in the Jar” do Metallica.

Já para “Beautiful Day” do U2, Akerlund filma em câmera lenta num estilo clean pouco característico. Mostrando integrantes da banda caminhando pelo aeroporto Charles de Gaulle em Paris, há uma estética mais refinada que na maioria dos outros vídeos do diretor.

Para o clipe de “Beautiful”, de Christina Aguilera, Akerlund mostra os tipos comuns da maioria de seus clipes como ‘incomuns’ – ou seja, temos a drag queen, a anoréxica, os gays, o gótico etc. A mensagem é que todos tem o seu lugar na sociedade e são ‘bonitos’. Poderia facilmente resvalar no brega, mas o resultado é simples e de bom-gosto.

Com o Maroon 5, Akerlund usou e abusou das grafias na tela, uma de suas marcas-registradas, tranformando o videoclipe de “Wake Up Call” numa espécie de curta-metragem envolvendo assassinato, traição e muito sexo. A participação canastrona do Jeremy Sisto é impagável.

Recentemente, Akerlund vem traçando uma parceria bem-sucedida com Lady Gaga, ao realizar clipes que são curtas-metragens bem ao estilo exagerado tanto do diretor quanto da cantora. O primeiro deles, “Paparazzi”, traz Lady Gaga com uma diva da música  traída pelo namorado mas que depois consegue sua bizarra vingança. Muito do vídeo foi inspirado por fotos de Helmut Newton, e a visão sobre o mundo das celebridades é bem sarcástica.

O segundo trabalho de Akerlund com Lady Gaga é o ainda mais exagerado “Telephone”, onde o diretor troca o mundo da riqueza e do dinheiro de ‘Paparazzi’ e trafega pelo território que lhe é familiar: mulheres desajustadas vindas do submundo. Claro que o submundo de Lady Gaga é habitado pelas roupas mais bizarras que se tem notícia, mas mesmo assim Akerlund imprime suas marcas autorais, especialmente as grafias na tela. Beyonce de coadjuvante de luxo meio que destoa, a não ser nas divertidas passagens que fazem referência a KILL BILL e THELMA & LOUISE.

Sempre trabalhando com artistas afim de inovar e causar polêmicas, Jonas Akerlund já é um dos maiores nomes da história do videoclipe.

Esta entrada foi publicada em Clipografia com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Uma resposta a Videografia: Jonas Akerlund

  1. Curioso que já tinha visto boa parte desses clipes, mas não sabia que eram dirigidos pelo Akerlund. Comecei a prestar mais atenção no trabalho dele após “Paparazzi” e adorei “Telephone”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s