DISTRITO 9

district-9

Um dos conceitos mais básicos da ficção científica é pegar um tema de impacto social importante e colocá-lo sob uma perspectiva fantástica, causando assim um distanciamento e ao mesmo tempo lançando uma nova luz sobre a questão. Dos filmes de ficção científica contemporâneos, certamente DISTRITO 9 é o que utiliza esse conceito com mais talento.

Na verdade, essa produção de Peter Jackson, dirigida por Neil Blomkamp trata de forma bem direta um dos temas mais caros ao gênero: a alteridade, ou seja, a questão do outro. Seres extraterrestres são sempre a bola da vez quando o assunto é alteridade, sejam eles malvadões (ALIEN) ou bonzinhos (E.T.). O que DISTRITO 9 traz de original é enfatizar o aspecto desumano do homem quando lida com extraterrestres que, sem poderem retornar ao planeta de origem, acabam vivendo na Terra como refugiados. E, ironia das ironias, fixam residência exatamente na África do Sul. Felizmente, a questão do apartheid não é mencionada nenhuma vez durante o filme, o que tornaria a alegoria ainda mais óbvia. Pelo contrário, o tom documental da primeira hora de produção parece querer esconder as sutilezas do roteiro e das declarações de ‘especialistas’ que falam da presença alienígena em Johanesburgo.

A temática do tratamento do ‘outro’ e esse ‘outro’ ser de outro planeta é tão forte que DISTRITO 9 em seus primeiros 40 minutos apenas explica a situação como se fosse um documentário (e aí é praticamente igual ao curta-metragem que lhe deu origem). Praticamente todas as questões da vida ‘à margem’ são tratadas, desde os nomes pejorativos dados aos extraterrestres até a perfeita caracterização da vida na favela. O filme parece que vai se dar ao luxo de não ter uma narrativa usual, mas eventualmente uma história toma forma quando um dos chefes da MNU (Multi-National Corporation, cujo emblema é igual ao da ONU), empresa responsável pela retirada dos extra-terrestres para uma espécie de campo de refugiados, sofre um grave acidente.

Mais sobre o enredo não dá pra dizer sem estragar algumas surpresas. Mas posso revelar que, a partir daí, DISTRITO 9 se torna um tanto convencional, com direito a perseguições, alianças inesperadas e explosões. Contudo, o filme permanece fascinante em grande parte pela notável atuação do protagonista Sharlto Copley e pelo visual ultra-realista (em especial os alienígenas, um primor de efeitos especiais).

Mesmo deixando um gancho para uma possível continuação, me surpreendeu como o filme tem uma perspectiva pessimista. O final é de deixar qualquer um arrasado, mas faz pensar bastante não no que o homem costuma fazer com grupos de ‘outros’ que não entende, mas o que faz com ele mesmo.

Esta entrada foi publicada em 24 quadros por segundo com as etiquetas , . ligação permanente.

5 respostas a DISTRITO 9

  1. bruno diz:

    Já viu rapaz? Está no topo da minha lista de desejos para esse ano ao lado de (500) Days of Summer.

  2. Valeria diz:

    Olha, sei que pode parecer uma enoooorme bobagem, mas será que não haverá alguma relação entre a SciFi e números? Penso em tantos títulos que se formam com esses elementos não verbais. POde não ser nada, mas …

  3. Confesso que só fui tomar conhecimento desse filme há poucos meses quando vi num site a chamada “Veja o trailer de filme produzido por Peter Jackson”. Vou tentar assistir em breve!

  4. Wally diz:

    Curiosíssimo para ver esta ficção-científica. Até porque sou fã do gênero.

  5. eu assisti o filme diz:

    putz filme massa

    o final é assim:o personagem principal pego um viros e esta se tranformando em alien e o colega dele alien tbm pega uma nave enquanto o personagem principal esta num mecha matando todos,com essa nave eles voam até a nave mãe e vão para casa!!e o colega dele disse o seguinte q depois de 3 anos iria buscar ele!no final o personagem principal talvez vire um alien e vive no distrido 9 e todos acham q ele sumiu!!ele deixa uma flor de aço na porta da casa de sua amada e ela relada q deveria jogar a flor no lixo mas algo diz q num

    bem assistam o filme!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s