Pop Erudito: Coppola + Robert Frost

Acho um crime que VIDAS SEM RUMO seja um filme tão pouco comentado de Francis Ford Coppola. É daquela fase em que o diretor andava interessado em representar a rebeldia juvenil, de onde também saiu outro filmaço, O SELVAGEM DA MOTOCICLETA.

Geralmente quando se fala de VIDAS SEM RUMO, sempre é pra ficar naquele papo de ‘revelação de grandes estrelas’ (que hoje nem são mais) como Patrick Swayze, Tom Cruise, Ralph Macchio, Diane Lane. Mas pra mim, o mais interessante do filme é a referência que ele faz a obras da literatura. O primeiro é E O VENTO LEVOU, que de certa forma influencia o filme na fotografia. Aqui, é notória a citação visual ao clássico de Victor Fleming, com seu pôr de sol tão vivo que parece de mentira (e é).

A segunda referência é a Robert Frost, um dos grandes poetas americanos do século XX e um dos meus preferidos. O poema que é recitado por C. Thomas Howell é “Nothing Gold Can Stay”, que fala sobre como as coisas boas da vida são transitórias. Lindo demais.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Pop Erudito com as etiquetas , . ligação permanente.

5 respostas a Pop Erudito: Coppola + Robert Frost

  1. Kamila diz:

    Assisti a “Vidas Sem Rumo” quando era muito jovem, por causa da minha irmã mais velha, que estava numa fase apaixonada pelo Tom Cruise. Então, assistíamos a todos os filmes dele. Como, nessa época, não era muito ligada em cinema, nem me toquei muito em relação ao que o longa falava… Acho que tenho que rever “Vidas Sem Rumo” urgentemente!

  2. karine diz:

    Eu vi Vidas sem Rumo depois de ter lido o livro (que eh um dos meus favoritos). Esse poema do Robert Frost esta logo no comeco do livro. 🙂

  3. Xicão diz:

    Preciso ver esse filme.
    Anotado na sessão COISAS PARA SE FAZER QUANDO SAIR DA CADEIA
    Fica aí a dica…

  4. Romeika diz:

    Nunca vi o filme, mas o post me deixou bastante curiosa, e pelos motivos certos, acredito. ^.^

  5. Pingback: Rosebud é o Trenó! | O blog pra quem sabe que Norman Bates é a mãe, o Bruce Willis está morto no final, Tyler Durden é coisa da sua cabeça e, claro, Rosebud é o trenó!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s