Amar foi minha ruína + Hamlet + Vale Tudo

Essa semana achei no Youtube uma jóia rara: o filme AMAR FOI MINHA RUÍNA inteirinho. O filme conta a história de Elen (Gene Tierney, belíssima), uma mulher cuja obsessão e ciúme pelo marido a leva a atos extremos e completamente loucos. A personagem de Tierney é daquelas vilãzonas que odiamos amar – a mulher mata o cunhado adolescente (e paralítico!) para ter a atenção do marido só pra si. Mesmo assim, como estamos em 1945, o casal dorme em camas de solteiro lado a lado.

leavehertoheaven

AMAR FOI MINHA RUÍNA é uma mistura de filme noir com melodrama, e gosto da maneira como os atos mais malignos de Elen são realizados à luz do dia, com uma fotografia super-iluminada. Mesmo assim, vários dos diálogos são muito over e o clima dramalhão impera, mas isso se dá mais pelo estilo de fazer cinema, bem diferente do de hoje.

O título em português, AMAR FOI MINHA RUÍNA, é daqueles exagerados como não se fazem mais (acho que só perde para TARDE DEMAIS PARA ESQUECER). No entanto, o filme originalmente se chama LEAVE HER TO HEAVEN, numa referência interessantíssima a HAMLET. Na peça de Shakespeare, quando o fantasma diz ao jovem príncipe que foi assassinado, fica claro para Hamlet que seu tio é o culpado por ‘algo de podre no reino da Dinamarca’, mas não sabe até onde vai a culpa de sua mãe. O fantasma então diz: “leave her to heaven”, ou seja, “deixe-a para o céu” – o julgamento dos atos da rainha será feito apenas após a morte. Nenhum personagem de AMAR FOI MINHA RUÍNA diz essa fala, mas fica claro que a culpa pelas atrocidades orquestradas pela protagonista Elen será declarada também quando ela morrer.

Começando com o teatro de Shakespeare e passando pela Hollywood dos anos 40,chegamos à telenovela brasileira do final dos anos 80. Gilberto Braga, que gosta de fazer citações cinematográficas, fez uma bela homenagem a AMAR FOI MINHA RUÍNA em “Vale Tudo”, a melhor novela da história. A homenagem consiste na recriação da maior loucura de Elen no filme: doida de ciúmes porque vai ter de dividir a atenção e o amor do marido com o filho que tem na barriga, ela se joga da escada de sua casa para perder o bebê. E consegue!

Em “Vale Tudo”, outra vilã que que odiamos amar – a Maria de Fátima interpretada por Glória Pires – está grávida, mas descobre que seu marido é estéril. Ou seja, o filho é do amante! Pra se livrar da criança, ela também forja uma queda e desce rolando as escadas. Mas como Maria de Fátima tem estilo, ela cai da escadaria do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Compare as duas cenas: em AMAR FOI MINHA RUÍNA

… e em “Vale Tudo”:

Pós-moderno é isso aí!😉

Esta entrada foi publicada em 24 quadros por segundo, Coffee - Tv, Estante, Pop Erudito com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

2 respostas a Amar foi minha ruína + Hamlet + Vale Tudo

  1. Ah, então esse foi o bendito, rs! Eu confesso que nunca tinha ouvido falar dele. Um dia vou fazer uma busca na Internet para ver se encontro para download. Abraços!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s