Top 50 – Videoclipes favoritos

6- Take On Me (A-ha) – Dir.: Steve Barron

take-on-me-0708-lg-52935740.jpg

Steve Barron é o pai do videoclipe como forma artística. No início dos anos 80, sua criatividade e talento para experimentar com essa nova forma de mídia deu origem a vídeos que marcaram época como Billie Jean de Michael Jackson e Money for Nothing do Dire Straits. No entanto, seu melhor trabalho é a criação cartunesca de Take On Me.

Todo e qualquer videoclipe, em sua essência, aborda a criação de um mundo ilusório, onde o cantor/banda se apresenta além dos limites do cotidiano e se expressa apenas através da música. Porém, ao contrário de um filme musical, raramente há espaço para pausas ou diálogos – a canção serve como fio condutor do roteiro que dura em torno de quatro minutos.

O que Barron faz aqui é criar uma ilusão dentro de outra: inserida no contexto de cultura pop do videoclipe, há uma outra esfera ainda mais pop – a da história em quadrinhos. Unir as duas é o seu golpe de mestre. Certamente que esta relação entre clipes e quadrinhos depois renderia outros ótimos resultados, mas nenhum com a simetria alcançada neste clipe do A-ha. Os desenhos rotoscópicos, milagrosamente, não parecem datados e, se não fossem as roupas e os cabelos oitentistas, o vídeo passaria tranqüilamente por atual.

A duplicidade real/fantasia é abordada de forma simples, mas nem por isso menos marcante. Não dá pra esquecer a seqüência do espelho, onde a garota (de verdade) olha o vocalista Morten Karket (desenhado) e, à medida que a câmera troca de lado, o desenho se torna real e vice-versa. Outro ótimo momento é o final do clipe, onde Harket tenta se livrar dos limites dos quadrinhos que o prendem para entrar no mundo real. A garota primeira olha com alegria para ele, mas logo percebe que as paredes do corredor funcionam como os quadrinhos da história, deixando o vocalista no limiar entre a fantasia e a realidade. Apenas no último segundo ele se torna uma figura de carne e osso.

O final feliz, contudo, é apenas provisório. A verdadeira conclusão da trama está na ‘parte 2’ da história, presente no clipe de The Sun Always Shines On TV.

Esta entrada foi publicada em Clipografia. ligação permanente.

2 respostas a Top 50 – Videoclipes favoritos

  1. Pingback: Rosebud é o Trenó! | O blog pra quem sabe que Norman Bates é a mãe, o Bruce Willis está morto no final, Tyler Durden é coisa da sua cabeça e, claro, Rosebud é o trenó!

  2. Pingback: Rosebud é o Trenó! | O blog pra quem sabe que Norman Bates é a mãe, o Bruce Willis está morto no final, Tyler Durden é coisa da sua cabeça e, claro, Rosebud é o trenó!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s